gatinha Kittygatinha Kittygatinha Kittygatinha Kittygatinha Kitty

Eu acredito que a gente está onde deveria estar, e não foi diferente com a Carla (mãe da Kitty). Ela não costumava ir sozinha até às casas dos pais em Atibaia (SP), mas acho que naquele dia o anjo da guarda dela deu uma forcinha e, em uma gélida sexta-feira ela acabou indo para lá.

Assim começa a história da Kitty: conversando com a caseira, Carla ouviu a história de uma gata que tinha “dado a luz” em um galpão. De acordo com os relatos, a gata mãe havia morrido no parto e apenas uma gatinha havia nascido, acabando por passar a noite inteira chorando, com fome, frio e medo. Infelizmente, ninguém se sensibilizou com isso e ela continuava lá, abandonada e com a morte se aproximando.

Claro que a Carla não iria ficar indiferente! Foi correndo até o local e lá estava ela, assustada, chorando muito e minúscula. Depois de conseguir uma seringa, a nova “mamãe” tentou várias receitas de leite e nada da pequena se alimentar… ela só conseguiu comer depois que se esquentou e se sentiu segura.

A partir daí, foi uma luta diária. Aquecer, dar de mamar de duas em duas horas, estimular para fazer as necessidades, carinho e tudo mais que uma recém-nascida precisa. O tempo foi passando e a Kitty foi superando todas as expectativas! Até começar a comer sozinha foi um sufoco, mas foi como a Carla disse, “todo esse trabalho valeu a pena”. O que poucos sabem dessa história é que a mamãe da Kitty sofria de depressão e, agora… ela mesma vai contar o final da história para a gente:

Estava passando por um período difícil na minha vida. Refugiei-me em casa e não queria saber de nada que exigisse de mim qualquer responsabilidade. Tudo era pesado demais pra mim. Sentia-me cansada, insegura e imprestável.

Logo que eu peguei a Kitty, eu pensei em cuidar dela até uns 3 meses e depois doá-la. É claro que eu fui me apegando a ela e ela a mim. Comecei a sofrer com isso, queria ficar com ela, mas ao mesmo tempo me dava agonia só de pensar na responsabilidade que isso traria. Achava que não teria energia e capacidade emocional para sustentar os cuidados que eu estava dando a ela até aquele momento.

Sofri até os 3 meses quando finalmente eu entendi que, antes da Kitty chegar, Deus havia tentando me mostrar, através de várias situações, que havia lições a aprender, mas para isso acontecer eu precisaria ter coragem. Dei um perdido nesses sinais, fiz cara de paisagem e não confiei em mim mesma.

Bom, aí Deus pensou: “Hummm, essa menina é muito teimosa e medrosa! Ela sempre consegue inventar uma desculpa e fugir das responsas. Mas se ela acha que é tão espertinha assim, eu sou mais esperto do que ela e sei que há só um jeito de ensinar essa lição”. Então, o que foi que aconteceu?? Ele me mandou a Kitty, sabendo que de modo algum eu iria me recusar a resgatá-la e que, com certeza, eu iria me apegar tanto a ela que não conseguiria mais largá-la.

E foi assim que eu consegui fortalecer a minha confiança e a auto-estima, além de ter me ajudado muito a melhorar a minha convivência em casa (essa é outra história). Isso tudo graças a uma gatinha! Considero a Kitty um “presente de Deus” (principalmente porque o meu aniversário tinha sido na quarta-feira, dia 27, e Deus esperou até o sábado, dia 30, para me presentear). E você sabe né, presente a gente não recusa, hehe…

— Carla Yamamora

gatinha Kitty
gatinha Kittygatinha Kittygatinha Kittygatinha Kittygatinha Kittygatinha Kitty

Um ótimo Natal a todos! Beijos da Kitty, Carla, Nany e toda a equipe Cozy.

Com os modelos sob encomenda as opções são ilimitadas. Você escolhe as cores, as peças, as decorações, os brinquedos… tudo para fazer do seu arranhador Cozy a perfeita árvore de gato para os seus felinos!

Confira alguns exemplos recentes:

Arranhador mais alto

O modelo acima foi feito especialmente para a família da Ketlen, que buscava um arranhador bem alto, onde seus gatos pudessem se divertir sem que Zeus, o cãozinho deles, interferisse nas brincadeiras. No final, o arranhador ficou com mais de 1,20 m e os gatos adoraram o novo refúgio!


Arranhador especial para gatinhas:

O modelo acima foi feito especialmente para duas gatinhas lindas, a Mel e a Milla (mãe e filha). A dona delas queria uma árvore de gatas que fosse meiga e feminina como elas, o que resultou neste belo arranhador personalizado!


Arranhador para uma família discreta:

A Andréia queria um arranhador com cores neutras, que combinasse com os móveis da casa para que seu três lindos gatos persas pudessem brincar e descansar. A solução foi fazer um arranhador em tons próximos aos dos móveis: ela adorou o resultado estiloso!


Um grande mirante:

A Lícia queria um arranhador simples, só que bem mais alto do que normalmente são os arranhadores. Ela buscava esta característica para enriquecer o ambiente de seus felinos, ampliando a vista deles na varanda de sua casa. Como os gatinhos não se desgrudam, a solução foi incorporar uma caminha estendida na parte superior, assim eles podem dormir juntos e ficar lado a lado contemplando a paisagem…


Peça agora mesmo o orçamento de um arranhador personalizado, feito sob medida para o(s) seu(s) gato(s)!

Arranhador (Árvore ou Poleiro) de Gato — Modelo Sublime
Tudo o que seu gato sempre quis…

 

Modelo Sublime — o GRANDE parque de diversões dos gatos

Dimensões:

  • Altura: 2,10 m
  • Calhas (os “andares” do meio): 50 cm de comprimento
  • Caminha superior: 50 cm de diâmetro
  • Casinhas: 30 cm de altura e 50 cm de diâmetro
  • Base: 60 x 60 cm (tamanho mínimo)

 

Obs: o detalhe em sisal (corda) foi um pedido especial do dono do gatinho.

Apesar de ser um parque de diversões vertical para qualquer felino, este modelo foi encomendado para um Bengal, que é um gato robusto, musculoso e de forte ossatura, que costuma pesar entre 8 e 9 kg. Suas patas traseiras são mais altas do que as dianteiras, o que aumenta o impulso de seus pulos. Bengals adoram escalar e têm reflexos muito rápidos.

Modelo de arranhador (árvore ou poleiro) de gatos feito especialmente para os populares Maine Coons: super reforçado, preparado para divertir, entreter e dar conforto a “gatinhos” de até 15 kg!

 

 

Modelo Maine Coon: este modelo possui base dupla que sustenta a confortável calha de 60 cm, uma cama com 50 cm de diâmetro para o bichano se espreguiçar, além de um tubo, que serve como abrigo quando o gato ainda é filhote e como brinquedo quando o gato já é adulto.

Pastel, Minhau e Chulé curtindo o novo arranhador da Cozy Gatos:

Agradecemos à mamãe Babi por ter nos enviado este vídeo, que amamos! :)

> Veja mais vídeos enviados pela Babi e outros clientes satisfeitos

Arranhador (Árvore ou Poleiro) de Gato — Modelo Cozy

Completo, um verdadeiro parque de diversões para os felinos: tubo com furinhos, brinquedos, caminha redonda e caminha ondular!

Modelo Cozy: base 60×40 cm, altura 80 cm. Cama redonda com 45 cm de diâmetro, cama ondular com 40 cm, tubo com 40 cm.

Parcelamos em até 12 vezes!

Este arranhador foi feito especialmente para a Lori e seus irmãos.
Como a Lori é uma gatinha cega, o arranhador possui mais uma caminha baixa para que ela também aproveitar junto de seus irmãozinhos.

Arranhador (Árvore ou Poleiro) de Gato — Modelo Compacto Nin

Opção compacta para quem dispõe de pouco espaço mas quer ver seus gatinhos felizes.

Sua base mede 45×45 cm, a caminha possui 45 cm de diâmetro (acomoda bem dois gatos de tamanho médio) e 80 cm de altura.

Parcelamos em até 12 vezes!